Monthly Archives - agosto 2014

Coaching e Flow

Coaching e Flow: uma combinação perfeita para elevar resultados, felicidade e conquistas no trabalho

Seja qual for a sua área de atuação, o coaching no flow propicia uma série de benefícios

Pense em seu trabalho e em suas atividades favoritas. Agora responda: você já sentiu um nível tão elevado de concentração e motivação a ponto de perder a noção do tempo e até mesmo ignorar sua fome, sede e cansaço? Ao atingir esse estado de imersão e de desafio, você chegou a se sentir verdadeiramente conectado ao propósito de suas atividades? Se você respondeu positivamente a essas indagações, isso significa que você já conhece na prática o flow, um estado otimizado de motivação intrínseca (isto é, interna) que contribui para o desenvolvimento de competências, a elevação da performance e o aumento dos níveis de prazer, felicidade e bem-estar.

Desenvolvida por Mihaly Csikszentmihalyi, professor de psicologia e autor de Flow: The Psychology of Optimal Experience (1991), a teoria do flow (“fluir”, em inglês) é definida como um estado mental e psicológico de êxtase que ocorre quando a mente e o corpo de uma pessoa são expandidos até seus limites, em um esforço voluntário para mergulhar completamente na atividade que realizam no momento e, assim, conquistar algo desafiador e recompensador. A sensação de estar transportado para fora de si é resultado do foco energizado, do envolvimento total e da fluidez no processo de realização, no qual as emoções alinham-se às habilidades pessoais e ao nível de desafio enfrentado.

No coaching, o flow promove sensação de engajamento e sinergia capaz de transformar vidas de maneira surpreendente. Habilidades e ideias fluem de modo intuitivo, o que propicia um salto evolutivo.
Com o coaching é possível gerar o flow no ambiente trabalho, elevando resultados e o nível de felicidade e conquistas dos funcionários por meio de uma atmosfera favorável ao flow e ao crescimento. O próprio trabalho propicia algumas das condições-chave para que o flow aconteça, entre as quais:

• Conjunto de metas/objetivos claros e definidos.
• Regras de performance bem-estabelecidas.
• Desafios à altura de nossas habilidades.
• Feedback – em termos de você saber que o trabalho foi bem-feito, de indicadores preestabelecidos ou do retorno dado por um supervisor.
• Ambiente que encoraja a concentração.

O flow promove intensamente o desenvolvimento de competências, os picos de performance e o aumento do bem-estar, da satisfação e do senso de realização. É no flow que um alto grau de habilidade encontra um grau equivalente de desafio, resultando em metas cada vez mais elevadas que exigem um aumento progressivo do nível de habilidades necessárias para atingi-las. Trata-se, em resumo, de um autodesafio, isto é, de desafiar a si mesmo, buscando, assim, elevar a sua motivação intrínseca e o engajamento.

Veja como elevar seus níveis de satisfação e de performance por meio da experiência do flow no trabalho:

Passo 1 – Encontre o valor da tarefa.
Passo 2 – Eleve sua expectativa a partir do resultado esperado.
Passo 3 – Segmente e otimize os passos necessários para a execução da tarefa.
Passo 4 – Mude o foco para tornar as tarefas mais interessantes, atraentes e desafiadoras.
Passo 5 – Aplique suas forças estrategicamente.

Seja qual for a sua área de atuação, o coaching no flow propicia uma série de benefícios gerados a partir do momento em que você transforma seus problemas em desafios e oportunidades de crescimento, removendo as interferências da sua mente e colocando as emoções a serviço do seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional.

Quer saber outras técnicas de coaching para potencializar seus resultados e aumentar os seus níveis de felicidade, bem-estar e realização? Conheça o Personal & Personal Coaching e dê o primeiro passo para conquistar o sucesso profissional e pessoal!

Villela da Matta – Presidente da Sociedade Brasileira de Coaching.

 

Fonte: Administradores

Hábitos de pessoas bem-sucedidas

Quatro hábitos recorrentes das pessoas bem-sucedidas

Nossos hábitos definem quem somos. Hábitos construtivos levam a uma vida proveitosa, assim como hábitos negativos nos resultam no caminho inverso.

 

Embora seja muito difícil deixar de fazer algo a que estamos habituados, é possível, sim, determinar nossos hábitos para obter resultados cada vez melhores em nossas vidas.

homem em cima de uma escada

Pessoas bem-sucedidas possuem alguns hábitos semelhantes que podem ser incorporados à vida de qualquer pessoa.

Pessoas bem-sucedidas, no geral, apresentam alguns hábitos semelhantes que podem ser incorporados à vida de qualquer pessoa, como adotar uma alimentação saudável, praticar exercícios e fazer caridade. Com comprometimento, determinação e disciplina, é possível moldar a rotina melhorar significativamente.

Confira quatro hábitos recorrentes das pessoas bem-sucedidas:

Planejamento
Ao planejar suas atividades diárias, você pode maximizar seu potencial durante o dia. O período da manhã é indicado para fazer esse planejamento, que inclui uma listagem de afazeres, prioridade de cada um deles e o tempo que será gasto para executar essas atividades. Procure fazer isso em um local calmo, sem barulho, que permita a realização desse planejamento com tranquilidade.

Persistência
Após o planejamento, as atividades precisam ser colocadas em prática. E se não der certo? Paciência e persistência! Não desistir facilmente e manter o foco são hábitos comuns entre pessoas bem-sucedidas, além de ter a capacidade de admitir seus erros e falhas — que tornam-se experiência para futuras decisões.

Pontualidade
Pessoas bem-sucedidas procuram estar sempre dentro de seus horários. A pontualidade demonstra comprometimento com relação ao compromisso, e que a pessoa leva a sério seus afazeres. Esse hábito pode ser disseminado para todos os aspectos das nossas vidas. A pontualidade vale não apenas no âmbito profissional, mas para aquele cinema com os amigos, no almoço em família e no jantar com pessoa amada.

Aprendizado
A fase de estudos e de busca por conhecimento nunca deve ter um fim. Quem pensa que a vida de estudante acaba com a faculdade está muito enganado. Pessoas bem-sucedidas estão sempre buscando por novos conhecimentos, permanecendo alunos por muito tempo. Esse hábito faz com que a pessoa esteja sempre disposta a aprender sobre novos temas e diferentes assuntos que acrescentam conhecimento.

 

Fonte: IBC Coaching

Se você quer enriquecer, não faça um MBA

Se você quer enriquecer, não faça um MBA

Estudo revelou que não há relação entre o sucesso profissional e a obtenção de um MBA

Se você quer enriquecer, não faça um MBA (Master Business Administration). Esse é o conselho que a MBA formada pela IE Business School, Mariana Zanetti, dá em seu livro “The MBA Bubble” (“A bolha do MBA”, em tradução livre).

Em um texto publicado no site norte-americano Business Insider, a executiva explica que, se seu objetivo é ser rico, em algum momento de sua vida, você terá de criar uma fonte de renda além de seu salário, seja por investimento ou empreendendo. Isso é, trabalhar para os outros não lhe trará riqueza. “Esta é uma realidade esmagadora: se você vender o seu tempo para os outros, você chegará rapidamente no limite de sua capacidade de gerar renda”, argumenta.

Segundo ela, obter um MBA pode lhe ajudar a conquistar cargos de liderança, e assim, se tornar rico, já que há diretores, CEOs e CFOs que ganham salários milionários. Em algumas empresas, inclusive, ainda é desejável ter esse curso para subir de cargo. Mas, Mariana rebate que essas empresas representam uma porcentagem muito pequena no mercado e você não necessita, obrigatoriamente, de um MBA para chegar ao topo de uma corporação. “A maioria das empresas vê o curso como opcional. Um estudo da Businessweek revelou que não há relação entre o sucesso profissional e a obtenção de um MBA.”

 

Fonte: InfoMoney

Pequeno guia para quem (ainda) tem medo de empreender

Pequeno guia para quem (ainda) tem medo de empreender

Como perder o medo e começar seu negócio próprio

 

Ter um negócio próprio é o sonho de um número cada vez maior de brasileiros. Mas muitos ainda têm medo de se arriscar em um negócio próprio. Se você está neste grupo, este pequeno guia pode ser útil.

Empreendedores de primeira viagem precisam encher, de alguma forma, tanques com cinco combustíveis diferentes. Serão usados em várias combinações desde a etapa inicial da viagem até o próximo posto de combustíveis. A ordem do enchimento dos tanques pode variar, mas se você se enquadra na categoria dos que têm medo de empreender, primeiro encha o tanque da coragem.

Muitos que querem empreender, simplesmente não têm a coragem de começar a viagem. Acham que ainda não reúnem todas as competências necessárias. Mas isso são exteriorizações de um medo interior maior: o de não ser capaz de se virar diante do desconhecido. Há muitos postos que oferecem o combustível da coragem para empreendedores, mas o que mais gosto é o Empretec, do Sebrae. Em seis dias, você suará por, no mínimo, 60 horas para tirar seu eu empreendedor (que não sabia) que existia em você ao trabalhar os dez principais comportamentos empreendedores. Depois dessa semana, você terá uma certeza: “De fome, você não morrerá”. E o combustível da coragem estará aceso!

O Empretec ajuda a encher o tanque seguinte com o segundo combustível para quem tem medo de empreender: cara de pau. No Empretec, você perde a vergonha, pois tudo é tão intenso que você tira o animal que existe dentro de você. Mas cara de pau é um combustível volátil e já na semana seguinte, sua vergonha, mais conhecida como autocrítica, volta e tenta domar sua coragem. Se isso acontecer, o Empretec terá sido mais um daqueles regimes mirabolantes de perda de peso e você será novamente derrotado pelo espelho todas as manhãs. Há vários postos em que você pode encher o tanque com cara de pau. O meu preferido para esse tipo de combustível se chama aulas de teatro. Há várias escolas que oferecem cursos rápidos com diversas técnicas de criação, representação e improvisação, entre tantas outras técnicas úteis para qualquer empreendedor.

Não raro, muitos se lançam no empreendedorismo com apenas esses dois tanques aparentemente cheios e quebram a cara pela falta do terceiro combustível que precisava ter sido misturado antes: conhecimento. O empreendedor precisa conhecer profundamente as necessidades e dificuldades dos seus clientes, os truques e golpes da concorrência, os atalhos dos fornecedores e parceiros, a maestria para lidar com seus colaboradores, as mágicas das técnicas de vendas e a lógica dos números do negócio. E de todos os combustíveis, este é o que está disponível em mais postos, na forma de livros, cursos, ferramentas, material online, consultores e mentores.

Se conseguir encher bem todos os tanques, não será preciso se preocupar em buscar um posto para o quarto combustível: a competência para transformar seu sonho de negócio em realidade. O tanque da competência será preenchido pelo uso sábio da coragem, da cara de pau e do conhecimento. Estude a trajetória de grandes empreendedores e entenderá que a maioria não reunia todas as competências iniciais necessárias para ter criado aquele negócio. Howard Schultz, do Starbucks, entendia de cafés, mas não necessariamente de cafeterias. Walt Disney gostava de desenhar, mas daí a transformar isso em um negócio havia uma boa distância. E Larry Page e Sergey Brin, do Google, sabiam programar muito, mas entendiam pouco ou nada de publicidade online.

E o único combustível que não deveria ser motivo de preocupação é o último, pois seu posto está dentro de você. É um combustível único chamado propósito. Não vá encher o tanque de paixão, que queima fácil e o deixará na mão nas primeiras dificuldades. Propósito é o combustível para levar sua empresa a longas distâncias. Quanto maior for o propósito do seu negócio, menor será o seu medo de empreender!

 

Fonte: Revista PEGN

3 jeitos simples de fazer seus funcionários felizes

3 jeitos simples de fazer seus funcionários felizes

O primeiro passo para a alegria é ajudar cada um dos funcionários a atingir as metas exigidas

No começo de qualquer negócio, boa parte do seu sucesso depende de sua equipe. E para conquistar esse sucesso mais facilmente, nada melhor que uma equipe feliz. O site da revista Inc. reuniu três jeitos que podem garantir a felicidade – e a motivação – de seus funcionários. Confiram:

Crescimento profissional
Algo que todo empreendedor deve ter em vista ao formar sua equipe: fique de olho no que as pessoas querem alcançar, quais são suas metas e ajude cada um dos seus funcionários a atingi-las. Quando um colaborador percebe que está crescendo, ele trabalha mais para o sucesso da empresa.

Senso de comunidade forte
Todo funcionário quer ter orgulho de onde trabalha, saber que seu tempo e seu trabalho estão construindo uma empresa com valores. Se o seu negócio já realiza algo – produto ou serviço – que beneficia mais pessoas, seus colaboradores vão sentir automaticamente que fazem parte de algo maior. Se não, faça com que sua empresa se envolva em projetos de interesse da sua equipe. Isso criará um senso de união entre todos e com as pessoas que são atingidas por sua empresa.

Tratamento igual
Pensar em tratar todos os seus funcionários de forma igual parece ser algo básico para qualquer empresa. Mas a teoria é sempre mais fácil que na prática. Cuide para que toda sua equipe seja respeitada e tome conta para que as necessidades mais simples e cotidianas – desde saber como estão de saúde, seus familiares – até as mais complexas (como problemas no local de trabalho e benefícios médicos) seja atendidas. Cuide de sua equipe como ela realmente fosse sua família. Isso diminuirá seus gastos com troca de pessoal e formará um grupo mais coeso e produtivo.

 

Fonte: Revista PEGN

Liberte-se da armadilha do papo furado

Liberte-se da armadilha do papo furado

Aprenda a começar e terminar uma conversa

Interessado é interessante. Se você recordar essa regra simples, não terá problema em conversar. Uma dica elementar para os mais introvertidos: seja curioso. Faça perguntas que provocarão respostas da outra pessoa. Afinal de contas, a maioria das pessoa adora se ouvir falar, portanto, se você é tímido, deixe que a outra pessoa fale por você.

A maior parte das pessoas é fascinante se você lhes fizer as perguntas certas, e conversa fiada pode ser uma das melhores maneiras de se educar. Raramente se passa um dia em que eu não tenha entre cinco e dez conversas que mudam minha visão do mundo.

Você pode terminar rapidamente uma conversa, se não se importa em ser rude. Outras maneiras são parar de falar, afastar-se um pouco, fingir que vê um conhecido do outro lado da sala ou dizer apenas: “Divirta-se. Foi um prazer conversar com você”. Por telefone, é mais fácil, porque você pode simplesmente desligar.

Gosto da maioria das conversas que tenho, especialmente com jovens empreendedores, e como costumo ter muita gente com quem falar – a maioria das pessoas é atenciosa e não me enche o saco. Os que fazem isso, entendem o recado. Mas, quando não entendem, eu apenas lhes digo que tenho outra coisa para fazer.

Ninguém gosta de ser grosseiro, mas há ocasiões em que isso é preciso, senão passa-se a vida inteira aprisionado em uma armadilha de conversas sem objetivo e papo furado.

 

Fonte: Administradores

7 sinais de que você não está sendo um bom chefe

7 sinais de que você não está sendo um bom chefe

Sua equipe fica em silêncio quando você chega ao trabalho? Isso é um péssimo sinal

Autoconhecimento nem sempre é o forte do empreendedor, o que dificulta a percepção de como seu estilo de liderar afeta a equipe. O site da Inc listou sete sinais que podem indicar que você não está sendo um chefe tão bom como pensa.

1. Tiras sobre trabalho são penduradas anonimamente
Quando tiras do personagem Dilbert aparecem espalhadas pelo escritório, algo não vai bem com a chefia. Pior ainda é quando os funcionários começam a pregá-las nas paredes escondidos, com medo que o chefe se vingue de alguma forma.

2. Silêncio total quando você chega ao escritório
Se seus funcionários param de conversar e interagir quando você chega ao trabalho, sinal vermelho. Isso não quer necessariamente dizer que eles estão escondendo algo, mas sim que eles não se sentem à vontade para falar qualquer coisa enquanto você está por perto.

3. Todos concordam com suas ideias
Se todos de sua equipe sorriem e concordam com o que você diz sempre, talvez eles estejam com medo de expor suas ideias e discordar das suas. Dica: se o sorriso parece estar colado ao rosto de alguém, ele não é verdadeiro.

4. Você contratou um consultor de gestão
O mero fato que você considera recorrer a este tipo de consultoria não é um dos melhores sinais. Cabe a você harmonizar e motivar as pessoas de sua equipe.

5. Os melhores colaboradores se foram
Pessoas muito talentosas não perdem tempo em lugares que não valorizam suas habilidades, o que é quase sempre o caso quando o chefe não é competente. Isso é ainda mais real e perceptível se a empresa não fornece nenhum tipo de benefício aos funcionários.

6. Você espera que as pessoas façam as coisas do seu jeito
Uma coisa é passar uma tarefa complicada com um prazo apertado e oferecer ajuda ao funcionário para finalizá-la a tempo. Outra coisa é insistir que o trabalho seja realizado da mesma exata forma que ele seria se ele fosse inteiro de sua responsabilidade.

7. Você tenta se redimir constantemente
Se você pede desculpas com frequência por ter passado do ponto com alguém, ou está constantemente revertendo algo, então o problema deve estar no seu comportamento.

 

Fonte: Revista PEGN

6 sinais de que você está trabalhando demais

6 sinais de que você está trabalhando demais

Empreendedores sempre trabalham mais de oito horas por dia, mas sobrecarga pode trazer mais prejuízos do que benefícios

Para ser bem-sucedido, um empreendedor tem que trabalhar. Muito. Ao contrário de quem tem um patrão, o dono do próprio negócio não trabalha apenas oito horas por dia. Não há uma separação entre o pessoal e o profissional quando a empresa é a vida de alguém. Para muita gente, empreender é como ter um filho – o amor é quase incondicional.

O problema é que o amor, além de incondicional, pode ser cego. Pode ser que uma pessoa apaixonada se dedique tanto à sua cara-metade, mas tanto, que acabe se sacrificando por ela. No mundo dos negócios, a mesma coisa acontece: para ver a empresa andar, o empreendedor fica preso no escritório e se priva de descanso e diversão.

Para Joel Peterson, professor da Universidade de Stanford (Estados Unidos) e presidente do conselho da JetBlue Airways, em alguns casos, esses sacrifícios não beneficiam a empresa. Pelo contrário, o cansaço interfere no desempenho do empreendedor e prejudica os negócios.

Em artigo publicado no LinkedIn, Peterson listou alguns sinais de quem trabalha demais. Descubra se você está sobrecarregado e o que fazer para botar o pé no freio e não prejudicar a empresa.

1) Você acha que tudo vai “desmoronar” sem sua presença
Um dos sinais de sobrecarga – e de “amor cego” pela empresa – é não sair do escritório de jeito nenhum. Peterson exemplifica a questão falando de um colega empreendedor, que dizia que era centralizador porque, do contrário, “tudo desmoronaria sem ele”. Por conta disso, o sujeito era o primeiro a chegar, o último a sair e não tinha tempo para ficar com a família. Sem uma “válvula de escape”, era estressado e deixava todos nervosos. Segundo Peterson, o melhor a se fazer é selecionar bem os colaboradores. “Contrate pessoas que possam fazer um trabalho melhor que o seu”, diz.

2) Você não consegue ser simpático fora do trabalho 
Um dos sintomas de quem está sobrecarregado surge quando o estresse também está presente fora do trabalho. Se você é mal educado com garçons sem motivo, ou é grosso com aeromoças e prestadores de serviços em geral, é provável que o nervosismo esteja comprometendo sua vida pessoal também. Caso isso esteja acontecendo, tente agradecer a todos que lhe façam algum favor. É normal que as pessoas se sintam bem ao fazer os outros mais felizes. Assim, é possível que o estresse se dissipe, o que melhora os aspectos pessoais e profissionais de sua vida.

3) Você é fresco
A comida não é boa, o hotel é fraco, seus ganhos são incipientes e os funcionários são horríveis. Se toda essa frescura começou a surgir após uma carga de trabalho particularmente pesada, é importante prestar atenção. Imagine como seus colaboradores se sentem ao trabalhar com alguém assim. Portanto, valorize o trabalho de quem trabalha para você e agradeça pelo que você tem. O ser humano, em sua essência, nunca está satisfeito, mas não é preciso ser tão chato.

4) Você está sempre atrasado
Imprevistos acontecem, mas enumere os motivos que fizeram você chegar atrasado aos últimos compromissos. Se você saiu muito tarde do escritório por estar trabalhando, lembre-se: é provável que aquela reunião tenha sido mais importante do que qualquer eventual pendência. Por isso, comprometa-se a ser pontual e confie em sua equipe. Se você não bota fé nos funcionários, talvez a seleção não foi a melhor possível. E a culpa é sua.

5) Você não tem foco
Qualquer empresário tem tarefas a resolver. Normalmente, são muitas. Pessoas que trabalham demais são irritadiças e estressadas. Tais sintomas dificultam a concentração e a elaboração de um plano. O resultado? Elas demoram a descobrir como começar a resolver algo. Quando finalmente trabalham em uma solução, outros problemas surgem à cabeça. No fim, a falta de foco acaba com a eficiência do empreendedor. Por isso, é melhor “perder tempo” dormindo que ficar sentado por horas sem fazer nada.

6) Você vive no passado e no futuro
Empreendedores que contam histórias sobre tempos antigos e gloriosos e sempre estão com a cabeça no futuro. O presente não interessa – tudo é feito para atingir o sucesso algum dia. É importante ter um ideal, mas com os pés no chão. Saia com sua família, deseje bom dia por onde passa e aproveite o agora. Isso reduzirá o estresse e fará sua performance no escritório aumentar.

 

Fonte: Revista PEGN

Como agir com pessoas que falam mal de você pelas costas

Como agir com pessoas que falam mal de você pelas costas

Algumas pessoas adoram fofocas e intrigas, causando grandes confusões e transformando o mundo em um lugar de ódio e desordem. Assim, devemos estar preparados para lidar com tais negatividades, não deixando que elas nos contaminem

Ser inteligente em uma sociedade pouco instruída é como receber uma estrela de xerife no velho oeste bem no dia em que o bandido mais perigoso do local adentrou a cidade. Em outras palavras, o que quero dizer é o seguinte: as pessoas não querem saber o raio de conhecimento que você possui. Elas estão interessadas em si mesmas e em mais nada.

Basta averiguarmos com calma nossa comunidade e veremos que os intelectuais são sempre perseguidos, enquanto os demais são abraçados. Isso acontece porque vivemos em um mundo onde a inveja existe e os seres que aqui estão a valorizam demasiadamente. Por isso Fannie Flagg disse: “Lembre-se, se as pessoas falarem por suas costas, quer dizer apenas que você está dois passos à frente.”

Quando analisamos nosso inimigo devemos tentar discernir suas reais intenções, interpretando seus objetivos e agindo estrategicamente. Desta forma, devemos nos adequar a esses ataques, fazendo com que eles percam força e representatividade.

Por exemplo: no futebol, quando um atacante vai bater um pênalti e o goleiro adversário se aproxima dele, dizendo que vai adivinhar o canto e que vai defender a bola, ele está tentando desconcentrar o atleta para que o mesmo se desequilibre emocionalmente e perca a cobrança. Neste caso, o que o jogador deve fazer é fechar os ouvidos e acreditar em si mesmo, porque fazendo isso, essa ação contrária cairá por terra e não afetará o resultado (ainda que ele perca o pênalti, porque ele não terá perdido por conta desse fator negativo e sim por ser uma obra do destino).

Do mesmo modo do exemplo acima, quando uma pessoa resolver nos agredir longe da nossa presença, devemos simplesmente não nos importar e nos mantermos firmes em nossa conduta. Além disso, não devemos ter ódio, ou sentimentos de vingança por essa pessoa, haja vista que ela possui uma mentalidade atrasada e por isso, ostenta esse tipo de comportamento. Em outras palavras, o desejo de tal criatura é que fiquemos entristecidos, chateados e revoltados com sua postura, logo uma ação inversa destrona o plano inicial dela e a faz se desmanchar por si mesma.

Portanto, seu oponente somente pode te atacar se você permitir que ele te ataque, porquanto o universo permite que sejamos responsáveis por nosso próprio destino (guardadas as devidas proporções). Assim, somos escultores de nossa existência e nossa moldura será perfeita se soubermos trabalhar nossa confiança para agirmos de forma inteligente perante os espinhos existentes em nossa trilha.

A importância do marketing pessoal e da credibilidade

Quem possui uma marca pessoal forte tem uma certa blindagem perante cenários nebulosos. Com toda certeza, as pessoas pensam duas vezes antes de propagarem bobagens sobre alguém que tem crédito no mercado. Destarte, é fundamental trabalharmos nossa imagem, fazendo com que as pessoas vejam nossas virtudes e passem a nos olhar com deferência.

Vale aludir que com o passar do tempo, podemos visualizar que quanto mais investimos em nossa marca, mais crescemos perante a sociedade, pois nosso comportamento reflete para as pessoas quem realmente somos, de sorte que elas irão nos apreciar se formos criaturas virtuosas e, principalmente, se formos capazes de mostrar isso a elas.

A necessidade de se vigiar

As pessoas estão esperando nossos erros para poderem descortiná-los, ou seja, tudo o que elas precisam é de um motivo para nos prejudicar. Deste modo, o que temos que fazer é vigiar nossas palavras, pois elas podem comprometer toda a nossa trajetória pessoal e profissional. Não foi por acaso que Oscar Wilde disse: “Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo.”

Digo isso porque muitos de nossos companheiros lançam armadilhas para nos apanhar, buscando nos encurralar constantemente. Daí a importância de se conhecer bem o inimigo e de também ter um grande cuidado com os falsos amigos, porque nem tudo aquilo que nossos olhos veem correspondem à realidade e precisamos enxergar além do óbvio em muitas situações.

Em linhas gerais, na dúvida, devemos sempre ter prudência e nunca deixar que nossa ansiedade nos atrapalhe em nossas escolhas. Vale lembrar também que pensar antes de falar é algo impreterível e inegociável, tendo em vista que o homem que aprender a refletir no tempo certo, conquistará todas as vitórias e se tornará quase imbatível com o passar dos anos (pratica = perfeição).

A preciosidade de se ter uma conduta coerente e coesa em todos os sentidos

Agradar a todos é impossível, todavia algumas pessoas possuem esse sonho utópico e infelizmente vivem sofrendo por isso. Sem dúvidas, se alguém busca ter uma vida própria e convicções únicas, é fundamental ter personalidade e não se deixar levar pelas teorias alheias.

Portanto, responda a si mesmo: você vive para si, ou para os outros? Sua liberdade é mais importante que qualquer coisa nessa vida, ou você se acostumou com cheiro do cárcere?

Pode parecer loucura, mas a maioria das pessoas existe para se preocupar com o que as outras vão pensar a respeito delas e não o contrário. São inseguras, teimosas, medrosas e completamente manipuláveis.

Não repita o erro delas, seja diferente: tenha força, energia, entusiasmo e garra, não permitindo que mandem em sua vida, pelo contrário, mostre que é você quem está no controle. Para isso, crie suas crenças, valores, princípios e não se desvie deles, pois assim procedendo, você estará mostrando ao mundo no que consiste a essência de um homem íntegro e do que é formado o coração de um ser de notável nobreza.

Concluindo, digo que precisamos fazer com que esses tagarelas tropecem em suas próprias palavras, tornando-os reféns da própria hipocrisia. Com absoluta certeza, temos poder de influenciar e modificar o ambiente, fazendo com que o mundo seja uma esfera onde a lucidez, a honra e dignidade humana permeiem sempre o topo.

 

Fonte: Administradores

O jogo da competência

O jogo da competência

O mundo atual é uma bola conectada, e assim as organizações devem estar agrupadas em círculos, pois o que pesa nos dias de hoje não é mais o quantitativo, mas o valor qualitativo

O jogo que tem valor está exatamente no campo de batalha e, portanto, é de alto risco e feito para uma nova safra de destemidos, loucos e determinados conquistadores. Ao contrário, num passado muito próximo, o show era ser parte de um “staff”, medido por reuniões intermináveis, junto a um grupo de estratégicos pensadores, sempre destacando a importância hierárquica por uma decisão final.

O mundo atual é uma bola conectada, e assim as organizações devem estar agrupadas em círculos, pois o que pesa nos dias de hoje não é mais o quantitativo, mas o valor qualitativo de grupos com ampla visão dos meios externos e capacidade de entendimento dos internos, para que no coletivo das criações possamos desenvolver em coerência com um tempo, onde prevalecem os sentidos das decisões, sempre priorizando a agilidade, qualidade e velocidade nas fases que migram de um pensar para um projetar e agir.

Nosso grupo de competência deve integrar os lados que treinam com os que ensinam, em conjunto com a inversão contínua entre os mestres e os alunos, pois são conjuntos homogêneos que determinam a harmonia necessária para que as coisas aconteçam e surpreendam.

No quadro abaixo, exemplifico isso de maneira gráfica:

 

Fonte: Administradores

 

Watch Dragon ball super