Monthly Archives - junho 2014

5 dicas para combater uma agenda sobrecarregada

Alguns profissionais costumam trabalhar até a exaustão, esquecendo que precisam de folgas e momentos para cuidar de si mesmos

Crystal Paine lançou seu site MoneySavingMom.com em 2007, sem nenhuma pretensão de negócio. Ela era apenas mais uma mãe, dando dicas de como economizar nas finanças de casa. Crystal não tinha a mínima noção de que os meses seguintes seriam um pesadelo empresarial.Com o sucesso do seu site, ela passou a ficar acordada durante a noite resolvendo problemas e tentando dar conta de todas as tarefas envolvendo o seu novo negócio. “Seu corpo esquece como relaxar e dormir”, ela disse. Pensando que seu ritmo iria diminuir com o tempo, a mãe continuou sua empreitada, até que se tocou de que nada iria melhorar se ela não tomasse uma atitude. “Levou meses para eu perceber que não iria melhorar. Eu precisava parar e fazer escolhas melhores se quisesse continuar com isso funcinando por mais tempo”, completa.

Com o controle da sua vida de volta, Crystal escreveu o livro “Say Goodbye to Suvival Mode” (“Diga adeus ao modo de sobrevivência”, em tradução livre), que contém conselhos relevantes para empresários e outros profissionais que costumam trabalhar até a loucura. Confira algumas dicas abaixo:

Apenas diga não por um tempo

Crystal disse não para quase todas as oportunidades de negócio que apareceram durante seis meses. É claro que ela se preocupou com o fato de que poderia perder grandes chances, mas percebeu que com o tempo limitado do dia era mais fácil ela perder um grande negócio se ficasse aceitando qualquer coisa pequena que aparecesse.

Consiga um assistente online por algumas horas

Se você está com muitas tarefas pendentes, pode contratar um assistinte virtual por algumas horas para lidar com seus compromissos mais urgentes. Não há um comprometimento empregatício longo e não é tão caro.

Separe algum tempo para cuidar de si mesmo

Alguns empresários pensam que irão se exercitar ou dormir assim que o trabalho acabar, mas Crystal Paine é clara: “Você nunca vai acabar o seu trabalho”. A melhor forma de ter um tempo para si mesmo é separar um horário do dia no qual você irá se desligar de todas as atividades do escritório e, por exemplo, se exercitar por 30 minutos.

Tire um dia de folga

Tirar um dia para se desconectar de todo o trabalho pode ser motivador, pois nesse período você pode ter grandes ideias para o seu negócio.

Diga sim estrategicamente

Depois de retomar o controle da sua vida profissional, começa a hora de dizer sim para as novas oportunidades que aparecerem. Porém, com cautela. Aceite aquelas chances que você sabe que não aparecerão de novo e aquelas que irão dar novas oportunidades e visibilidade para sua empresa.

 

Fonte: http://administradores.com.br/mobile/noticias/carreira/5-dicas-para-combater-uma-agenda-sobrecarregada/84018/

Feedback: ferramenta estratégica ou arma de destruição em massa?

Entenda quais são os quatro principais tipos de feedback e como eles podem impactar a comunicação nas empresas.

E fundamental dar feedback! Nem me recordo mais, quantas vezes já ouvi esta frase dentro das empresas. Já estou cansada de tanta ladainha. Feedback, feedback! A impressão que tenho é que existe muito mais preocupação em falar por falar, do que realmente buscar a melhor maneira em dizer aquilo que precisa ser dito. E assim, lá vai o gestor, juntar sua equipe ou chamar um por um para uma conversa mais reservada, preocupado somente cumprir o seu papel de “dar feedback”. Se tudo fosse tão fácil assim, aposto que não veríamos tantos problemas de comunicação dentro das empresas. Sinceramente, não acredito que o feedback feito de maneira “impensada” seja a solução para as barreiras de comunicação existente no meio empresarial.Veja bem, não sou contra trabalhar com feedback, pois acredito que se a conversa for feita com foco em resultados, pode ser sim, uma grande ferramenta estratégica. O problema acontece quando o tal do feedback é dado ou recebido de maneira impensada, pura e simplesmente porque “é preciso dar feedback”. Neste caso o que era para ser algo positivo, acaba virando uma arma de destruição em massa, promovendo desmotivação da equipe, desengajamento dos colaboradores além de disseminar a cultura do falar por falar ou pior ainda, do falar o que se quer da forma como lhe convém, sem pensar em como o outro vai ser impactado, e assim vemos gestores ofensivos, profissionais agressivos e uma série de problemas gerados pura e simplesmente porque não houve uma reflexão sobre a forma em que se poderia dar feedback.

Bem sabemos que aquilo que falamos, pode sim impactar diretamente no resultado de outras pessoas, tanto de forma positiva, como de maneira negativa e é a isto que me refiro quando digo que o feedback pode ser uma ferramenta estratégica, quando é feito de maneira reflexiva e intencional buscando melhores resultados, ao passo que quando é utilizado de maneira impulsiva, aleatória ou até mesmo imatura pode se transformar em uma arma de destruição em massa.

É preciso que exista a conscientização de que a comunicação dentro das empresas, deve sim ser estimulada, que o feedback deve sim ser fundamental, mas acima de tudo que isto seja feito adequadamente e não de forma enganosa, ilusória, fantasiosa ou depreciativa, caso contrário o que poderia ser uma excelente ferramenta, acaba se tornando uma grande arma contra a própria empresa, trazendo grande incomodo nas organizações, desmotivando pessoas e virando apenas “falação” sem sentido que não tem objetivo nenhum senão trazer o caos e instaurar a cultura do “fala o que quer, ouve o que não quer”.

Para compreender melhor a dinâmica da comunicação empresarial, é importante saber que existem quatro tipos principais de feedback e com base nisto, procurar se perceber diante das situações, não somente analisando a comunicação do outro, mas principalmente buscando compreender a própria dinâmica na hora em que é preciso se comunicar.

Conheça os 4 tipos mais frequentes de feedback e como eles podem afetar os resultados da equipe:

Falso Afetivo – Este tipo de discurso, não tem outra função senão mascarar a verdade, pessoas que utilizam esta forma de comunicação normalmente são aquelas que fazem muito “rodeio” e nunca falam o que precisa ser dito, seja por medo de comprometer a relação com o colega ou porque aquilo que precisa ser dito é algo mais delicado, e assim, preferem agir de forma falsa, passando a mão na cabeça e esperando que as coisas se resolvam sozinhas. Dar feedback falso afetivo, além de comprometer os resultados reais da equipe, ainda pode respingar negativamente na imagem do profissional que age desta maneira, sendo visto como uma pessoa falsa e dissimulada.

Falso Destrutivo – O intuito do feedback falso destrutivo assemelha-se ao falso afetivo, porém os fins acabam se tornando mais escusos pois o objetivo é a depreciação do outro, seja por meio de criticas, falta de tato no falar ou até mesmo a invenção de comportamentos inexistentes. Comunicar de maneira falsa destrutiva, pode ter consequências sérias, pois afeta diretamente o psicológico dos envolvidos, que podem se sentir desmotivados e até mesmo assediados no ambiente de trabalho. O feedback falso destrutivo, está muito relacionado à percepção de quem critica do que a análise racional dos resultados propriamente ditos ou seja, é uma visão unilateral dos fatos, permeada por emoção negativa, com o intuito de prejudicar o outro para promover a si mesmo ou seus próprios interesses – pessoas que trabalham com este tipo de feedback, normalmente sentem-se inseguras em relação a própria competência.

Verdadeiro Destrutivo – É o que chamamos de “falar na lata” sem mensurar palavras, ou seja, a verdade nua e crua. Por mais que em muitos casos esta pareça ser a melhor saída, mesmo quando atuamos com a intenção verdadeira, é preciso que as palavras sejam escolhidas com cuidado pois um feedback verdadeiro dito sem mensurar palavras pode trazer consequências destrutivas para quem o recebe, se isto não for feito com o cuidado que merece. Dar feedback sem pensar em como o outro vai se sentir ao receber tal informação é agir de maneira insensível e até mesmo desumana. Hoje, não podemos mais falar aquilo que precisa ser dito de qualquer forma, por mais que seja uma verdade. É fundamental que exista preocupação com os sentimentos envolvidos, além de procurar desenvolver empatia com o interlocutor, para que a mensagem seja aceita positivamente, com o intuito de promover vontade de mudança e não desânimo e apatia frente as situações.

Verdadeiro Afetivo – Possui o intuito de não somente passar a mensagem de forma clara e verdadeira, mas fazer também com que a pessoa que receba a mensagem, veja significado naquilo que está sendo dito e se conscientize que aquilo é para o seu aprimoramento. O feedback verdadeiro afetivo, além de incentivar o engajamento, ainda estimula o clima de ajuda mutua na organização, pois promove o desenvolvimento de todos por meio da comunicação assertiva o que consequentemente reflete em melhores resultados tanto para a empresa, quanto para as pessoas que nela trabalham.

Antes de uma boa conversa organizacional, é fundamental analisar o que será dito, pois não basta apenas “dar feedback” aleatoriamente é preciso que ele seja feito de maneira adequada pois somente assim a comunicação pode ser considerada uma ferramenta estratégica e não uma arma de dispersão e consequentemente destruição em massa.

 

 

Fonte: http://administradores.com.br/mobile/artigos/carreira/feedback-ferramenta-estrategica-ou-arma-de-destruicao-em-massa/77845/

14 sinais de que você tem inteligência emocional

“A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional”, disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman

Nossa inteligência emocional – o modo como gerenciamos as emoções, tanto as nossas como as dos outros – pode ter um papel crítico para determinar nossa felicidade e nosso sucesso.

Platão disse que todo aprendizado tem uma base emocional, e talvez ele tenha razão.

O modo como interagimos com nossas emoções e as regulamos tem repercussões em quase todos os aspectos de nossa vida.

Para colocar em termos coloquiais, a inteligência emocional (IE) é como a “sabedoria da rua”, em oposição à “sabedoria dos livros”, e é responsável por grande parte da capacidade de uma pessoa de navegar com eficiência pela vida.

“Quem tem inteligência emocional geralmente é confiante, sabe trabalhar na direção de suas metas, é adaptável e flexível. Você se recupera rapidamente do estresse e é resistente”, disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman, autor de “Focus: The Hidden Driver of Excellence” [“Foco: O Motor Oculto da Excelência”].

“A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional.”

Os cinco componentes da IE, como definidos por Goleman, são autoconsciência, autorregulação, motivação, habilidades sociais e empatia.

Podemos ser fortes em algumas dessas áreas e deficitários em outras, mas todos temos o poder de melhorar em qualquer uma delas.

Não tem certeza de qual é seu nível de inteligência emocional? Aqui estão 14 sinais de que você tem uma IE alta.

1. Você sente curiosidade sobre pessoas que não conhece.

PhotoRack

executivos conversando

 

Você gosta de conhecer novas pessoas e naturalmente tende a fazer muitas perguntas depois de ser apresentado a alguém?

Nesse caso, tem um certo grau de empatia, um dos principais componentes da IE.

Pessoas altamente empáticas – as que estão extremamente sintonizadas com as necessidades e os sentimentos dos outros, e agem de uma maneira sensível a essas necessidades – têm uma coisa importante em comum: são muito curiosas sobre estranhos e se interessam genuinamente em saber mais sobre os outros.

Ter curiosidade sobre os outros também é uma maneira de cultivar a empatia.

“A curiosidade expande nossa empatia quando conversamos com pessoas de fora do nosso círculo social habitual, encontrando vidas e visões de mundo muito diferentes das nossas”, escreveu Roman Krznaric, autor do livro “Empathy: A Handbook For Revolution” [“Empatia: Um Manual para a Revolução”], em seu blog Greater Good.

2. Você é um ótimo líder.

Getty Images

homem subindo escada

 

Líderes excepcionais costumam ter uma coisa em comum, segundo Goleman.

Além dos tradicionais requisitos para o sucesso – talento, ética profissional e ambição, por exemplo -, eles possuem um alto grau de inteligência emocional.

Em sua pesquisa comparando os que se saíram extremamente bem em papéis de liderança com aqueles que eram simplesmente medianos, ele descobriu que cerca de 90% da diferença em seus perfis se devia à IE, e não à capacidade cognitiva.

“Quanto mais alta a categoria de uma pessoa considerada um ator excelente, mais capacidades de inteligência emocional apareciam como motivo de sua eficácia”, escreveu Goleman na“Harvard Business Review”.

3. Você conhece suas forças e suas fraquezas.

Um grande fator da autoconsciência é ser honesto consigo mesmo sobre quem você é – saber onde você se sai muito bem e onde você tem dificuldade, e aceitar essas coisas.

Uma pessoa emocionalmente inteligente aprende a identificar suas áreas de força e de fraqueza e analisa como pode trabalhar com maior eficácia dentro desse quadro.

Essa consciência gera a autoconfiança, que é um dos principais fatores da IE, segundo Goleman. “Se você sabe em que é realmente eficaz, pode operar a partir dessa confiança”, diz ele.

4. Você sabe prestar atenção.

Divulgação

Sala de aula

 

Você é distraído por cada tuíte, mensagem e pensamento que passa por sua cabeça?

Nesse caso, isso pode estar impedindo que você funcione em seu mais alto nível de inteligência emocional.

Mas a capacidade de suportar distrações e se concentrar na tarefa a ser feita é um grande segredo da inteligência emocional, diz Goleman.

Sem estar presente consigo mesmo e com os outros, é difícil desenvolver autoconsciência e relacionamentos fortes.

“Sua capacidade de se concentrar no trabalho que está fazendo ou na sua tarefa escolar, e deixar para ler aquela mensagem ou jogar aquele videogame quando terminar – seu nível de eficiência nesse aspecto durante a infância vem a ser um fator de previsão mais forte de seu sucesso financeiro quando adulto do que seu QI ou a riqueza de sua família”, diz Goleman. “E podemos ensinar as crianças a fazer isso.”

5. Quando você está chateado, sabe exatamente por quê.

Getty Images

desmotivação

 

Todos nós experimentamos uma série de flutuações emocionais ao longo do dia, e muitas vezes nem sequer compreendemos o que está causando uma onda de raiva ou de tristeza.

Mas um aspecto importante da autoconsciência é a capacidade de reconhecer de onde vêm suas emoções e saber por que você está chateado.

Autoconsciência também se trata de reconhecer as emoções quando elas brotam, em vez de identificá-las mal ou ignorá-las.

Pessoas emocionalmente inteligentes recuam um passo diante das emoções, examinam o que estão sentindo e o efeito dessa emoção sobre elas.

6. Você se dá bem com a maioria das pessoas.

“Ter relacionamentos satisfatórios e eficazes – esse é um sinal [de inteligência emocional]”, diz Goleman.

7. Você se importa profundamente em ser uma pessoa boa e moral.

Getty Images

abraço

 

Um aspecto da IE é nossa “identidade moral”, que tem a ver com a extensão em que queremos ver a nós mesmos como pessoas éticas e cuidadosas.

Se você é uma pessoa que se importa em construir esse lado de si mesma (independentemente de como você atuou em situações morais anteriores), pode ter um alto índice de IE.

8. Você se dá um tempo para desacelerar e ajudar os outros.

Se você criar o hábito de desacelerar para prestar atenção nos outros, seja saindo ligeiramente do seu caminho para cumprimentar alguém ou ajudar uma mulher idosa no metrô, você demonstra inteligência emocional.

Muitas pessoas, uma boa parte do tempo, estão completamente concentradas em si mesmas. E com frequência é porque estamos tão ocupados correndo em um estado de estresse, tentando fazer as coisas, que simplesmente não temos tempo para perceber os outros, quanto menos ajudar.

“[Existe um] espectro que vai da total autoabsorção a perceber e a sentir empatia e compaixão”,disse Goleman em uma palestra TED sobre compaixão.

“O simples fato é que se estivermos focados em nós mesmos, se estivermos preocupados – o que muitas vezes estamos durante o dia todo -, realmente não perceberemos totalmente o outro.”

Ser mais atencioso, em contraste com estar absorvido em seu mundinho, planta as sementes da compaixão – um componente crucial da IE.

9. Você é bom em ler as expressões faciais das pessoas.

Getty Images

Homem pensando próximo de outros homens

 

Ser capaz de sentir como os outros estão se sentindo é uma parte importante de ter uma boa IE.

Faça este teste da Universidade da Califórnia em Berkeley (em inglês) para descobrir sua eficiência em ler as emoções dos outros.

10. Depois de cair você se levanta rapidamente.

Como você lida com os erros e reveses diz muito sobre quem você é. Indivíduos com alta IE sabem que se há uma coisa que todos temos de fazer na vida é seguir em frente.

Quando uma pessoa emocionalmente inteligente sofre um fracasso ou revés, ela é capaz de se recuperar rapidamente.

Isto acontece em parte por causa da capacidade de experimentar com atenção as emoções negativas sem deixar que elas saiam do controle, o que oferece um grau mais alto de resistência.

“A pessoa resistente não fica presa às emoções negativas, mas deixa que elas fiquem lado a lado com outros sentimentos”, disse Barbara Fredrickson, autora de “Positivity” [Positividade], à “Experience Life”.

“Por isso, ao mesmo tempo que elas estão sentindo ‘estou triste por causa disso’, também tendem a pensar ‘mas estou grata por isto’.”

11. Você é um bom juiz de caráter.

Procsilas/Creative Commons

Benefícios

 

Você sempre consegue ter a sensação de quem uma pessoa é desde o início – e suas intuições raramente se enganam.

12. Você confia em seu instinto.

Uma pessoa com inteligência emocional é alguém que se sente à vontade seguindo sua intuição, diz Goleman.

Se você é capaz de confiar em si mesmo e em suas emoções, não há motivo para não escutar aquela voz interior (ou aquela sensação na barriga) que lhe diz que caminho deve seguir.

13. Você sempre foi automotivado.

GettyImages

Funcionários felizes em uma das salas de escritório da empresa

 

Você sempre foi ambicioso e trabalhador quando criança, mesmo quando não era recompensado por isso? Se você é uma pessoa atuante e motivada – e consegue focar sua atenção e sua energia para perseguir seus objetivos -, provavelmente tem um alto nível de IE.

14. Você sabe dizer não.

Autorregulação, um dos cinco componentes da inteligência emocional, significa ser capaz de se disciplinar e evitar hábitos insalubres.

As pessoas dotadas de IE geralmente são bem equipadas para tolerar o estresse (um gatilho dos maus hábitos para muitas) e controlar seus impulsos, segundo Goleman.

 

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/14-sinais-de-que-voce-tem-inteligencia-emocional/

7 dicas para montar uma apresentação de sucesso em pouco tempo

Segundo Eduardo Adas, um dos sócios da SOAP, utilizar humor, suspense, drama e fazer questionamentos auxilia na construção e sucesso de uma apresentação

Frequentemente os jovens profissionais ou universitários são desafiados a realizarem apresentações em público. Como o velho modelo de Power Point ficou saturado, as apresentações passaram a ficar repetitivas e chatas — ao estilo “ler os slides”.Mas é possível fazer diferente. “Achamos que as pessoas podem utilizar esse material com um verdadeiro “check-list” para que economizem tempo e tenham sucesso em suas negociações”, explica Eduardo Adas, um dos sócios da consultoria Soap. Para auxiliar os profissionais a montar uma apresentação de sucesso de forma rápida e objetiva, Adas aponta sete práticas que ajudam a criar uma apresentação perfeita.

Confira abaixo 7 dicas para uma apresentação de sucesso:

1. Questione-se

Fazer perguntas sobre o real objetivo da apresentação, o perfil da audiência, pontos principais que pretende deixar na memória da audiência e outras perguntas, são imprescindíveis para fazer o diagnóstico e definir os rumos de uma boa apresentação, explica Rogério Chequer, sócio da SOAP.

2. Pense no “como”

Use linguagem direta e objetiva, metáforas que tenham algum tipo de relação com o tema. Além disso, segundo Eduardo Adas, utilizar humor, suspense, drama e fazer questionamentos, auxilia na construção e sucesso de uma apresentação.

3. Contextualize

Crie uma conexão emocional com a audiência. Para isso, ambiente sua história e traga à tona dificuldades ou problemas enfrentados pela audiência, dentro do tema a ser explorado na apresentação. Caso o público se familiarize com o problema ou contexto apresentado, ficará até o final para saber a conclusão. “Esse é o momento em que você ganha ou perde a audiência, portanto, é preciso prestar atenção”, explica Eduardo Adas.

4. Confirme as informações

Este é o momento no qual você deve sustentar tudo o que colocou no primeiro ato e envolver a audiência. “Explique o porquê, mostre dados que confirmem a veracidade da informação, exponha conflitos, os prós e contras”, ensina Rogerio Chequer.

5. Apresente as soluções

Esse é o clímax de sua história, portanto, mostre como você poderá ajudar na solução dos problemas.  “Desta forma, você não terá necessidade de falar quem você é e nem o que faz, pois a audiência deduzirá automaticamente os seus diferenciais e benefícios”, pontua Rogerio Chequer.

6. Ajuste o discurso

Para que a apresentação fique mais dinâmica, pense em ganchos que ajudarão a lembrar o próximo slide.

7. Treine

É aconselhável montar a apresentação para que possa ocorrer uma familiarização com o conteúdo e formato. É necessário entender o fluxo e decorar os links para que, no momento da apresentação, tudo saia de forma natural. “Treinar muito, esse é o segredo. De nada adianta uma boa construção de conteúdo se, ao final, ela não for estudada pelo apresentador”, conclui Rogerio Chequer.

 

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/noticias/academico/7-dicas-para-montar-uma-apresentacao-de-sucesso-em-pouco-tempo/88687/

6 maneiras que pessoas inteligentes sabotam suas carreiras

Eles superestimam suas qualidades e isso pode minar suas chances profissionais. Veja como

SÃO PAULO – Nem mesmo aquelas pessoas consideradas inteligentes estão acima de cometer erros em sua vida profissional. De uma forma diferente, elas pecam, muitas vezes, por superestimar seus pontos fortes, e acabam sabotando as próprias oportunidades.

Uma reportagem do Business Insider mostrou as formas mais comuns que esse grupo de profissionais mina as chances profissionais sem perceber:

1. Elas gastam muito mais tempo pensando do que fazendo
“Pesquisas e planejamento são necessários com moderação, mas podem passar uma ilusão perigosa de progresso”, disse um empresário do Vale do Silício, Chris Yeh. Segundo Chris, a maioria das pessoas inteligentes é também perfeccionista e pode ser pega neste tipo de procrastinação aparentemente produtiva. “Ela vê defeitos em detalhes em vez de acertá-los na prática.”

2. Elas seguem a tendência (e não sua paixão)
Andrew Yang, um dos diretores do Ventury For America, instituição de ensino de empreendedorismo, tem percebido entre os jovens que há uma tendência de seguir as indústrias do momento, como a de tecnologia, em vez de seguir suas paixões. Isso porque eles são mais lógicos que emocionais – e esquecem que a satisfação é uma emoção necessária na vida profissional.

3. Elas param de tentar
As pessoas que cresceram profissionalmente por sua capacidade de pensar, muitas vezes, se tornam preguiçosas. “Elas não conseguem exercitar seus talentos naturais e, eventualmente, ficam para trás dos outros que, embora pareçam menos talentosos, eles persistiram até alcançar a perfeição”, disse o empresário Lee Semels ao site.

4. Elas subestimam habilidades sociais
Algumas pessoas inteligentes não percebem que o intelecto é apenas um elemento para alcançar o sucesso e que o bom networking é um pré-requisito no mundo corporativo. “Elas nunca tentam melhorar suas habilidades sociais ou aprendem a se auto-promover e até denigrem pessoas que se destacam nessa área.”

5. Elas sempre têm a razão
Ego e inteligência é uma combinação traiçoeira. Por se acharem mais inteligentes que a média, acreditam que estão sempre com a razão e acabam parecendo arrogantes.

6. Elas equiparam educação com inteligência
Segundo a socióloga Liz Pullen, o diploma universitário influencia no julgamento do quanto uma pessoa é inteligente, inclusive entre as pessoas que estudaram em instituições renomadas. “Mas há inúmeros casos de pessoas que não se formaram academicamente, mas são mais qualificados por sua experiência no mundo real.”

 

 

Fonte: http://m.infomoney.com.br/carreira/gestao-e-lideranca/noticia/3378785/maneiras-que-pessoas-inteligentes-sabotam-suas-carreiras

Falta de sono pode levar líderes a tomar decisões equivocadas

Segundo consultor da DBM, noite de insônia causa irritabilidade, falta de tolerância e prejudica a concentração dos gestores

Irritabilidade, falta de tolerância, diminuição da capacidade de concentração, ausência de interatividade com a equipe, ansiedade e altos níveis de estresse são algumas das consequências que o líder pode ter, caso ele não consiga dormir adequadamente durante a noite.De acordo com o psiquiatra e consultor associado da DBM, Frederico Porto, além de tudo isso, o gestor corre o risco de tomar decisões erradas, por não estar no seu juízo perfeito.”O líder deve agir como se ele fosse um atleta: com horas de trabalho e também com um tempo para descansar. Para produzir mais, o profissional precisa ter períodos de descanso”, explica Porto.

Razões para falta de sono

Quase três quartos dos executivos não dormem o suficiente. Quando questionados sobre as razões para a falta de sono, grande parte (40%) deles respondeu que foi devido às preocupações com o trabalho. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pela Philips, com 2,5 mil executivos da Alemanha, Estados Unidos, Holanda, Japão e Reino Unido.

“As pessoas perdem o sono porque não conseguem dormir (insônia) ou porque não estão reservando tempo suficiente para o sono – ambos podem acontecer por causa do estresse relacionado ao trabalho no atual cenário econômico”, destaca o diretor-executivo da área de Soluções para Home Healthcare da Philips, David White.

O estudo também constatou que a maioria (61%) dos executivos entrevistados sofreu impacto negativo em seu trabalho, devido à falta de sono. Com isso, os profissionais tiveram, em média, 6,2 dias de trabalho por ano comprometidos.

Atitudes erradas

Para driblar o sono, durante o expediente, os profissionais recorrem ao café e, além disso, à alimentação compulsiva.

Entretanto, Porto adverte que essa combinação causa diversos problemas à saúde, como o ganho de peso e o aumento das chances de desenvolver a apneia. Segundo a pesquisa, 65% dos executivos disseram que o fato de roncar durante a noite não é motivo para tratamento médico. Vale lembrar que o ronco é um dos principais sintomas da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono.

O que fazer

Porto diz que o líder precisa mudar algumas atitudes do seu cotidiano para poder ter noites de sono tranquilas. A primeira delas é estabelecer as prioridades. “Manter a agenda organizada evita as situações de estresse. Logo, as chances de ter o controle de suas emoções são bem maiores”.

Além disso, se o gestor perceber que está propenso a ficar tenso, o psiquiatra recomenda que ele se levante da mesa de trabalho ou procure relaxar fazendo exercícios de respiração.

Por último, o líder não pode esquecer de ter uma alimentação adequada, comer a cada três horas, evitar o consumo de café após as 18h e fazer atividades físicas.

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/noticias/negocios/falta-de-sono-pode-levar-lideres-a-tomar-decisoes-equivocadas/26116/

6 dicas fundamentais para planejar sua rotina

Veja algumas ideias que podem ajudar a tornar seus dias menos corridos e desgastantes

  

Fazer um dia funcionar bem costuma ser um grande desafio para muita gente. Mas essa pode ser uma tarefa mais simples do que parece. Se você quer garantir uma rotina incrível, aqui vão algumas dicas:

1) Um bom café da manhã pode ser rápido e fácil

Essa é uma ótima sugestão do Lifekacker (em inglês) que pode ajudar sua rotina matinal a fluir. Se você luta para tomar café da manhã todos os dias porque é muito esforço e por levar muito tempo, essa é para você: preparar seu desjejum na noite anterior ao aprontar os objetos que você vai precisar ou simplesmente cortar frutas em pedaços pode economizar tempo pela manhã. Talvez você queira optar por uma refeição mais simples, como cereal, para poupar tempo e também esforço. Se preferir algo que precise de mais tempo, como uma vitamina, você pode preparar para a semana toda em 5 minutos – perfeito para a noite do domingo antes de sua semana começar. É só fazer e congelar.

2) Encontre seu melhor momento para fazer cada coisa

Nossos corpos têm “relógios embutidos” que determinam os melhores momentos para comer, dormir, exercitar-se e trabalhar. Talvez você não tenha a flexibilidade de fazer tudo no tempo certo para si, mas tente ouvir seu relógio interno o máximo possível. Se você é daquelas pessoas cujos trabalhos criativos são melhor produzidos à noite, durante o dia, tente retirar afazeres criativos e agende mais tarefas administrativas e analíticas para a manhã. Se você achar que exercitar-se é melhor na metade do dia, pode tentar fazer isso durante seu intervalo para o almoço ou fazer uma pausa no trabalho à tarde e retornar no comecinho da noite.

3) Um alarme para acordá-lo pode não ser o suficiente – tenha um para mandá-lo dormir

A maioria de nós possui despertadores para acordar pela manhã, mas todos nós ficamos facilmente acordados até mais tarde. Ter um alarme que nos lembre da hora certa de dormir pode ser uma grande ajuda na adoção de uma rotina regular de sono. Nos experimentos de Eric Barker com o sono, ele descobriu que colocar um alarme para dizer quando ir para a cama é ainda mais eficiente do que um despertador. Para prepará-lo para acordar novo e descansado no dia seguinte, tente simular padrões de sono mais naturais possíveis. Um despertador que simula o raiar do sol ou o gorjear dos pássaros pode gentilmente fazê-lo acordar cedo pela manhã. Deixar seu quarto totalmente escuro e manter a temperatura baixa e consistente também pode ajudá-lo a dormir com mais tranquilidade.

4) Desligue-se para dormir melhor à noite – o método de “zero notificações”

Uma rotina desacelerada à noite é algo a que prestamos atenção particularmente. Muitos de nós descobrimos que isso faz uma grande diferença ao quanto – e quão bem – dormimos. Nosso CEO, Joel, havia escrito sobre sua rotina antes, e realmente gosto de como ele explica seus desacelerados hábitos noturnos:

– Desengatar: uma atividade que permita a separação total da jornada de trabalho. Para mim, isso é representado por uma caminhada de 20 minutos, diariamente, às 21h30. Este é um período de desaceleração e me permite avaliar os feitos do dia, pensar sobre os desafios maiores, gradativamente parar de pensar sobre o trabalho e alcançar um estado de cansaço.

– Evitar reengrenar: depois da atividade, vá direto para a cama. Certifique-se de que todos os dispositivos eletrônicos estejam em um ambiente diferente do que você dorme. Uma vez na cama, não leia livros relacionados ao seu trabalho em qualquer aspecto. Para mim, isso significa ler ficção.

Você talvez queira tentar fazer uma caminhada, como Joel, ou um momento de leitura silenciosa. Outras excelentes atividades de desaceleração incluem meditação, tomar chá, sentar calmamente, alongamento e tomar banho de banheira. E como qualquer tipo de luz, incluindo telas retroiluminadas como as de computadores ou telefones, afetam o seu padrão de sono negativamente, tente evitá-las por um tempo antes de dormir.

5) Desenvolva uma rotina matinal que você também mantenha nos finais de semana

Construir uma rotina habitual pode ajudar você a começar seu dia da melhor forma. Esse é outro aspecto apreciado por Joel, e ele tem uma ótima sugestão de como criar uma consistente rotina matinal:

“Certamente acredito que é importante permitir uma imperfeição e alguma folga no fim de semana, porém, pessoalmente, cometi o erro de ter uma hora para acordar nos finais de semana que divergia bastante da minha hora de acordar nos dias úteis. Apenas uma vez que comecei a refletir sobre os finais de semana, consegui acordar cedo pela manhã por muitos dias em sequência”.

Adoro esse ponto, especialmente porque sou propensa a dormir muito e ficar acordada até tarde sábado e domingo, o que pode fazer minha rotina matinal bem mais difícil de cumprir na manhã da segunda-feira.

6) Acompanhe seus hábitos para se entender melhor

Leva tempo e esforço para rastrear tudo que você faz em um dia. Recentemente comecei a mapear minhas atividades do meio da semana e notei que lembrar de cada atividade é a parte mais difícil. Dito isso, se você puder se esforçar alguns dias, talvez tenha as ideias necessárias para melhorar sua rotina diária. Entender como você vive no presente momento pode ajudá-lo a trabalhar em direção de como você quer viver.

Com os hábitos, em especial, é bom seguir o conselho de Richard Branson e começar algo antes de você se sentir pronto. É uma das coisas mais poderosas que o ajudaram a ter sucesso.

Quais outras dicas você tem para aprimorar sua rotina diária? Como é sua rotina agora? Deixe-nos saber nos comentários.

 

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/carreira/6-dicas-fundamentais-para-planejar-sua-rotina/74766/

Coworking dá certo se o empresário deixar o ego de lado

 

É cada vez mais comum ouvirmos a palavra coworking. Traduzido, mas não realmente conceituado, como escritório compartilhado. Escritório compartilhado é algo que sempre existiu: pessoas do mesmo ou de diferentes ramos alugando o mesmo espaço para, principalmente, reduzir custos.

De alguns anos para cá, no mundo todo, vem tomando força o coworking, que vai além de simplesmente dividir o espaço (leia-se despesas), compartilham-se ideias, projetos, vidas e sonhos.

A Carbono Zero Courier iniciou suas atividades em um coworking, mas não em qualquer um. Era uma proposta totalmente alinhada com aquilo que queríamos para a empresa, ou seja, mudar o mundo. Podemos afirmar, tranquilamente, que nosso empreendimento não seria o mesmo se não tivéssemos iniciado e vivenciado essa experiência.

Tantas conexões, aprendizados, trocas, ajudas etc. Estar cercado de pessoas que não só são empreendedoras, mas que estão ali para mudar o mundo não tem preço. Competição vira união, vira ajuda, existe um senso mais profundo do que o simplesmente fazer negócios, ter networking. Existe algo comum e inspirador que movimenta as pessoas nessa rede.

Além do custo direto, existe o indireto. Ter um escritório próprio demanda tempo para administrar assuntos triviais, por exemplo, compra de material de limpeza, bens de consumo, mobiliar etc. Sem contar o tempo para gerenciar e planejar esses detalhes.

Para decidir, avalie a real necessidade do teu projeto versus o seu ego. Você realmente precisa de um escritório ou quer um? Leve bem em conta a solução do coworking, mas vá além da economia de tempo e dinheiro, veja as infinitas possibilidades de se trabalhar em um ambiente em movimento constante.

 

Fonte: http://blogs.pme.estadao.com.br/blog-do-empreendedor/coworking-da-certo-se-o-empresario-deixar-o-ego-de-lado/

Cinco dicas para um bom planejamento na hora de abrir um negócio

Pesquisa do Sebrae revela que apenas 62,6% dos entrevistados fazem planejamento estratégico

“As empresas estão se interessando por planejamento, mas ainda não é absoluto”

Um bom planejamento é uma das ações mais importantes para garantir a estabilidade financeira do primeiro negócio. Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a falta de planejamento e desconhecimento do mercado são os principais fatores para falência ou estagnação de 41,64% das micro e pequenas empresas.

Para Roberto Muntoreanu, designer e sócio da agência de comunicação Binky, a falta de planejamento influencia e muito nesses números: “As empresas estão se interessando por planejamento, mas ainda não é absoluto. Em muitos casos, falta profundidade”. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae e Fundação Nacional de Qualidade (FNQ), 62,6% dos empresários entrevistados revelam que fazem planejamento estratégico. 1.163 empresas responderam as perguntas.

Muntoreanu conta que iniciou o planejamento para a sua empresa dois anos antes de começar o negócio, e como resultado obteve saúde financeira rapidamente, sem nunca entrar no vermelho. Veja abaixo as dicas do designer para montar um planejamento eficaz:

1. Estude o mercado para saber onde está se colocando.

2. Faça três previsões para o futuro de sua empresa: uma otimista, uma realista e uma pessimista. Planeje maneiras de modificar estas situações.

3. Desenvolva um plano de negócios, isto proporciona uma reflexão sobre a empresa.

4. Revise seu planejamento constantemente para ver se está funcionando da maneira como pensou.

5. Lembre-se que planejamento é uma linha mestre, mas não é o dono da verdade. Planejamento tem que ter flexibilidade, se adapte às situações inesperadas.

 

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/noticias/negocios/cinco-dicas-para-um-bom-planejamento-na-hora-de-abrir-um-negocio/88614/

 

 

Watch Dragon ball super