Como promover uma mudança interior e ser o protagonista da sua vida?

Assumir “Eu sou 100% responsável por tudo que acontece comigo, tudo é de minha responsabilidade, além de mim ninguém mais é responsável”, é a única forma de promover uma grande mudança de atitude interior. Você passa a ser o protagonista da sua vida, deixa de ser o coitadinho, o azarado levado pelas circunstâncias.

 

Quando li a afirmativa “você é 100% responsável por todos os acontecimentos da sua vida”, no livro do Prof. Massaharu Taniguchi, fiquei assustado. Acredito que há a atuação da lei da causalidade neste mundo, portanto não discordei totalmente da afirmativa. Com o tempo percebi o quanto é importante assumir 100% de responsabilidade para si.

Costumava justificar muitas coisas que eu não conseguia obter ou fazer culpando, responsabilizando os outros, as circunstâncias, ao momento errado, ao azar, a falta de sorte, falta de tempo, recursos materiais e financeiros, etc.

Pensava que o sucesso ou insucesso dependia da vontade, da ação ou participação dos outros. Por exemplo: o salário dependia não na totalidade da vontade do meu patrão. Tinha consciência que tinha que fazer a minha parte, mas daí em diante não dependia mais de mim.

Tinha uma lista de justificativas padrões: “perdi o negócio por causa da concorrência”, “cheguei atrasado por culpa do trânsito”, “deu errado por culpa de…”, “não cumpri o prazo por que…”, “ é culpa da crise…”, “não deu certo porque fulano falhou, errou”, etc.

Muitas vezes não assumia responsabilidades por medo. Medo de errar, medo de agir, medo de arriscar. Pura falta de coragem e iniciativa. Embora não admitisse publicamente, intimamente sabia que a culpa era minha nestes casos.

Uma outra forma de não assumir a responsabilidade era diluindo a própria culpa compartilhando com outros ou no meio dos outros: “todos fazem isso”, “é um ato sem importância”, “é só uma vez”. Outras táticas de não assumir a responsabilidade eram “ainda tenho tempo”, “posso fazer mais tarde/depois”, “pode ser que aconteça/apareça algo/alguém …”, “vou me informar/pesquisar …”.

Felizmente nunca utilizei as “justificativas socialmente aceitas”, tais como: “sou feliz com o pouco que tenho”, “sou espiritualmente rico”, etc. Se você for totalmente desapegado de bens materiais, ótimo, parabéns, mas se tem inveja dos que viajam para o exterior na primeira classe é enganar a si próprio.

Com relação a pessoas bem mais sucedidas que eu, sempre tive a certeza que a culpa era minha. Nunca transferi a culpa para “falta de sorte” ou “não nasci em berço de ouro”, “meus pais eram pobres”, “não tenho amigos influentes”.

O grande problema de não assumir 100% de responsabilidade é que ao se eximir da culpa nunca olha para si, para dentro de você: como pensa, como age, como reage. Não promove a mudança interior. A única forma de mudar um resultado é mudando a causa.

Ao transferir a culpa para os outros ou para as circunstâncias externas, a causa também é transferida junto. Desta forma, você nunca faz uma análise de si próprio para ver em que poderia ter feito, melhorado para alcançar resultados satisfatórios. Nunca corrige a verdadeira causa.

A declaração “sou 100% responsável por tudo que acontece comigo” leva à mudança de cinco atitudes. Primeira: não querer encontrar um culpado. Segunda: não culpar uma circunstância externa: empresa, família, chefe, governo, mercado, economia. Terceira: examinará a si próprio. Quarta: agirá proativamente. Quinta: se algo sair errado, irá se esforçar muito mais.

Quando você toma resolutamente a decisão de não mais culpar os outros, assumir que “tudo é de minha responsabilidade, além de mim ninguém mais é responsável” e cumprir esta decisão, irá promover uma grande revolução, uma grande mudança interior. Tudo melhora porque você passa a ser o protagonista da vida, deixa de ser o coitadinho levado por ela.

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/carreira/como-promover-uma-mudanca-interior-e-ser-o-protagonista-da-sua-vida/78135/

 

Como convencer alguém em 60 segundos?

Se você quiser criar uma primeira impressão impactante, este artigo vai lhe ajudar substancialmente. Três elementos estratégicos, unidos à sua linguagem não verbal, possibilitarão que você construa conexões de significado com as pessoas.

Antes de tentar vender qualquer coisa, ou oferecer algum serviço, você precisa estabelecer uma conexão de confiança com as pessoas. Para isso, é necessário convencê-las. Convencer alguém vai muito além de persuadir ou influenciar as pessoas a fazerem o que você quer. A etimologia da palavra diz muito: “convencer” vem de convictus, que significa “vencer junto”. Logo, só convence quem quer que o outro também vença. Se você for capaz de dar o seu melhor, ajudar, oferecer uma solução ou um produto que vai satisfazer alguém verdadeiramente, você é capaz de convencer.

E como as pessoas que não lhe conhecem podem confiar em você? Você precisará criar conexões de significado. Simon Sinek desenvolveu um método simples e poderoso conhecido como Why, How, What. Ele entendeu que as pessoas não compram apenas o que você faz, compram, principalmente, o porquê você faz. Essa “compra” se refere à adesão. Portanto, para aderirem à sua ideia, você precisa ter um motivo, ou uma causa muito forte para fazer o que você faz. Isso significa que pessoas aderem à sua crença. Para elas acreditarem em você, você precisa acreditar muito no que você faz, ser convicto. Para convencer alguém, você precisar estar realmente convencido.

1. Why? Comece pelo porquê. Por que você decidiu fazer o que faz? O que lhe motivou a vender isso? No que você realmente acredita? Que relação isso tem com o seu trabalho? Percebi que os artistas são bons nisso, pois transmitem o que realmente acreditam, ou seja, são autênticos. Por isso, eles têm fãs, transmitindo uma ideia que vivem, consequentemente eles têm seguidores dela. O que eles fazem começa pelo o que realmente acreditam. As ideias dos artistas são transmitidas numa música, peça teatral, pintura, ou num livro. O seu empreendimento pode ser a sua obra. Então, eu entendi que o empreendedorismo, a sua carreira ou o seu negócio também podem ser uma arte se você realmente acreditar no que faz.

2. How? Agora defina o como. Como você faz o que realmente acredita? Como você entrega o que faz? Como resolve o problema do cliente? O “how” é a ponte entre você e o seu cliente, ou seja, é um método. Inclusive, o termo vem do latimmethodus e significa “caminho”. Se existe uma maneira de você ajudar o seu cliente a resolver um problema, então diga como será.

3. What? Qual o nome da solução que você oferecerá ao seu cliente? Qual o nome do seu produto? Que resultado o seu cliente terá? Quais os resultados que os seus clientes já tiveram? Waldez Ludwig percebeu que o cliente compra um sentimento. O cliente pode até entender como funciona o seu serviço, mas se ele não acreditar, não tem valor para ele. O valor é um sentimento que ele vai construir quando aderir à sua ideia, ou o seu produto. Pode ser a credibilidade, a confiança, ou a esperança, por exemplo. O sentimento também é gerado como resultado final do consumo do seu produto, podendo ser a satisfação ou o prazer.

Vale ressaltar que você precisa transmitir o que faz com entusiasmo e convicção. Seu corpo, a voz e o significado de cada uma das palavras precisam estar coerentes com a sua crença. Mehrabian constatou que 55% do poder da comunicação dependem da linguagem corporal (gestos, expressão facial, olhar), 38% da sua voz (tom de voz, eloquência) e 7% do conteúdo (o texto, as palavras). Isso significa que 93% da sua comunicação depende de como você fala. Suas palavras podem ganhar vida, dependendo da maneira que você fala.

Quando as pessoas perguntam o que eu faço, ou como é o meu trabalho, eu respondo: “eu acredito que qualquer pessoa pode ser uma grande empreendedora no próprio negócio ou na carreira, pois eu vivo isso desde os 17 anos. Baseado nessa experiência, desenvolvi uma metodologia chamada Business Coaching que ajudou mais de 60 pequenos empreendedores, 20 executivos e 13 empresas a conquistarem resultados extraordinários em curto espaço de tempo.” Esse é o meu Why, How, What. Com ele, eu consigo despertar pelo menos o interesse e a atenção de qualquer cliente em potencial. Daí eu o convido para tomar um café sem compromisso algum e explico com mais detalhes a minha metodologia.

Qual é o seu Why, How, What? Reflita, escreva e ensaie. Transmita-o para as pessoas e surpreenda-se com o nível de interesse delas. Você já deve ter percebido que só consegue fazer este exercício quem tem amor pelo que faz. Se você ainda não encontrou um sentimento verdadeiro pelo que faz, vale a pena buscar um trabalho que tenha vocação e que acredita. As pessoas perceberão isso no brilho dos seus olhos. A partir de agora, você pode maximizar qualquer oportunidade de negócio até numa conversa de elevador.

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/negocios/como-convencer-alguem-em-60-segundos/76897/

 

 

Abrace seus problemas

Existe somente um lugar onde você encontrará pessoas sem problemas: o cemitérioPessoas acreditam que a vida tem de acontecer sem problemas. Se as contas fossem mais fáceis de pagar, se os relacionamentos fossem serenos todo o tempo e se houvesse governos sem corrupção, a vida seria muito mais fácil.

Todos esses problemas são exasperantes e, ao longo do tempo, geram desgastes e muito estresse, pela impossibilidade de resolvê-los definitivamente.

Entretanto, a crença de que a vida deveria ser sem problemas adiciona um componente terrível para os indivíduos: que sua vida não deveria ser como é, e que são fracassados por não conseguir resolvê-los.

Acontece que existe somente um lugar onde você encontrará pessoas sem problemas: o cemitério. Todas as demais têm de lidar com eles.

Entretanto, para enfrentá-los você precisará de muita energia, ou correrá o risco de sofrer um esgotamento mental, físico ou emocional. Para que essa energia apareça, você deve dar um sentido às suas adversidades. A capacidade humana de resolvê-las depende disso. Portanto, o motivo pelo qual você deseja resolver o problema é tão ou mais importante que o problema em si.

Ao longo do tempo, é o significado que você forja para suas adversidades que constrói sua identidade. Por essa razão, já que a vida tem problemas, escolha os maiores para resolver. Albert Einstein, Charles Darwin, Gandhi, Martin Luther King e Nelson Mandela são exemplos de pessoas que resolveram problemas gigantes, que lhes deram uma identidade única e eterna.

Na esfera profissional, você terá de conviver com situações como a falta de remuneração adequada às suas necessidades, chefes problemáticos, pessoas que desejam prejudicá-lo, crises na empresa, no mercado e na economia. Isso, sem falar no difícil equilíbrio da vida profissional com a pessoal. Mas você somente terá energia para enfrentar tudo isso, se forjar um significado para sua carreira e, em última análise, para sua vida.

É esse significado que irá auxiliá-lo a construir sua identidade perante o mundo.

Espero que escolha bem, pois o mundo precisa de indivíduos que, mais que desejarem apenas resolver seus problemas, sejam capazes de contribuir para que outros façam o mesmo.

Vamos em frente!

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/carreira/abrace-seus-problemas/77905/

8 atitudes que estagiários devem evitar

Se você deseja transformar seu estágio em um trabalho efetivo no futuro, algumas atitudes precisam ser evitadas – ou melhor, abolidas da sua vidaSe você quer deixar uma boa impressão no escritório e garantir que seu estágio se torne um trabalho em tempo integral, deve evitar, de todas as formas, algumas atitudes que demonstram falta de profissionalismo. O site Business Insider listou alguns erros que devem ser evitados no ambiente de trabalho. Confira:

1. Ignorar as pequenas tarefas

Algumas tarefas para as quais você é designado são apenas testes, mesmo que elas não valham todo o seu talento e potencial. Se você faz um trabalho medíocre em simples atividades, não vai ganhar confiança do seu chefe para ser designado em grandes projetos.

2. Ficar sentado esperando

Um dos maiores erros que os estagiários podem cometer é não tirar vantagem das oportunidades que estão na frente deles. Nunca, absolutamente nunca, fique apenas sentado esperando algo acontecer. Você tem que aproveitar as oportunidades, se voluntariar para ajudar e pedir mais responsabilidades.

3. Chegar atrasado

É claro que imprevistos acontecem, mas se atrasar constantemente mostra que você não é confiável e passa uma má impressão ao seu empregador.

4. Vestir-se inapropriadamente

Mesmo que você trabalhe em um escritório onde o código de vestimenta não seja necessariamente terno e gravata, ainda é preciso se vestir como um profissional e não como se estivesse indo para o cinema.

5. Não pedir esclarecimentos

Se o seu chefe lhe passar uma tarefa que você não entendeu completamente, peça mais detalhes. Faça questão de ter todas as informações de que você precisa antes de começar alguma coisa. Por isso, nunca tenha medo de perguntar ou pedir ajuda.

6. Esquecer de verificar o trabalho feito

Antes de entregar alguma coisa que você fez para o chefe, tenha certeza de que está feito corretamente. Pequenos erros fazem você parecer desleixado.

7. Usar o celular

Nunca faça ligações pessoais, mande mensagens ou fique na internet. Na verdade, você deve deixar o seu celular de lado durante todo o dia de trabalho para não ficar tentado a usá-lo.

8. Permitir que tirem proveito de você

Estagiários às vezes trabalham por pouca ou nenhuma remuneração, mas a experiência deve ser de benefício mútuo. Você deve aprender durante a experiência, por isso esteja sempre ciente dos seus direitos.

 

Fonte: http://administradores.com.br/mobile/noticias/carreira/8-atitudes-que-estagiarios-devem-evitar/89255/

6 diferenciais dos universitários queridinhos das empresas

Confira atividades de faculdade e comportamentos dos jovens que se destacam na multidão durante processos seletivos para estágio nas empresas

Jovens:  quem sabe aplicar na prática o que aprende na faculdade se destaca

Com os programas de estágio e de trainee cada vez mais bem estruturados e recebendo grandes investimentos das empresas, a concorrência em processos seletivos é acirrada.

 

Geralmente, milhares de estudantes concorrem a poucas dezenas de oportunidades e, para se destacar, precisam de muito mais do que a matrícula em uma universidade.

Quem diz isso é Flávia Queiroz, gerente da Page Talent, consultoria especializada no recrutamento de estagiários etrainees. “Os processos são muito criteriosos”, afirma.

Mas, como se destacar em meio à multidão de inscritos? Segundo Flávia, algumas atitudes e atividades ajudam (e muito). E elas estão ao alcance de todos os universitários, confira:

1 Bom desempenho acadêmico

Algumas empresas pedem que o aluno comprove o bom desempenho em números. De acordo com Flávia, é raro, mas o universitário pode sim ter que mostrar suas notas durante o processo seletivo. “É mais comum no Rio de Janeiro do que em em São Paulo”, diz.

Independentemente de mostrar as notas ou não, o seu aprendizado será posto à prova pelas empresas. “Na fase de dinâmicas, o candidato passa por atividades, é exposto a um case de negócios e isso exige que ele mostre conhecimentos”, diz Flávia.

Desenhar estratégias, fazer um planejamento, interagir com os outros membros do grupo são algumas das ações avaliadas nesta etapa da seleção, segundo ela.

2 Aplicação prática do aprendizado

Estagiários que aproveitam a exposição às novidades e tendências de mercado apresentadas por seus professores são os mais procurados. É que o dinamismo do mercado pede aos jovens que façam esta “ponte” entre ambiente acadêmico e visão organizacional.

Em outras palavras, as empresas querem e esperam dos universitários sugestões de melhorias de processos e novidades a que eles têm acesso nas salas de aula da faculdade.

“O jovem terá mais oportunidades para trazer estas novidades para a empresa ao longo do estágio, mas no processo seletivo ele já pode contribuir a partir da exposição de suas ideias”, diz Flávia.

3  Experiência em empresas juniores e diretório acadêmico

O jovem que participa de uma empresa júnior ou comanda um diretório acadêmico estreia no mercado com uma bagagem de habilidades e competências próximas àquelas exigidas pelo dia a dia de trabalho.

Metas, níveis hierárquicos, planejamento estratégico são algumas delas, segundo a gerente da Page Talent. “Com isso a adaptação no mundo corporativo é mais rápida”, explica.

4 Atividades extracurriculares

Iniciação científica, monitoria, pesquisas, estudo de idiomas. Tudo isso conta pontos para o universitário em processos seletivos.
“Por mais que estejam mais ligadas ao universo acadêmico, são atividades que mostram que, em seu tempo livre, este jovem investe no seu próprio desenvolvimento”, diz Flávia.

5 Olhar profissional em trabalhos acadêmicos

O portfólio de trabalhos acadêmicos  também pode ser um ponto de destaque no currículo do jovem universitário. O aluno que sabe aproveitar as oportunidades práticas que surgem durante o período de faculdade e joga sobre elas um olhar profissional brilha aos olhos dos recrutadores, diz a gerente da Page Talent.

“Esses trabalhos também são uma simulação do que ele vai viver na empresa porque exigem pesquisa, planejamento, interação com os colegas de grupo”, diz Flávia.

6  Atenção às possibilidades de carreira

Quanto mais segurança acerca da carreira pretendida o jovem transparecer no momento da seleção, mais ele se destacará dos demais.

E quem aproveita a época de faculdade para pesquisar e entrar em contato com as possibilidades na sua área futura área de atuação geralmente demonstra mais confiança na hora de responder perguntas como “por que você se candidatou ao programa” ou “ por que você quer trabalhar nesta empresa”.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/6-diferenciais-dos-universitarios-queridinhos-das-empresas?page=2

 

 

10 qualidades indispensáveis para um bom profissional

Saiba o que as empresas esperam de você

 

A economia está mais pujante e, por isso, o mercado ficou mais exigente. Atender as expectativas dos empregadores hoje requer qualidade, esforço e dedicação. Ou seja: ter uma boa formação, inclusive continuada; estar disposto a correr atrás dos seus objetivos e comprometer-se a buscar os melhores resultados para a empresa.

“As exigências sempre vão ser muitas e vão aumentar. É um esforço constante, mas que tende a ser recompensado no final”, afirma Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum e especialista em recolocação profissional.

O executivo lembra também que a melhor hora de buscar um novo emprego é quando se está trabalhando e que o mercado de trabalho está repleto de oportunidades.

Abrileri indica as principais qualidades que o profissional precisa ter para conquistar espaços e se garantir no mercado. Confira abaixo.

 

1 – Capacitação técnica específica

Esta continua sendo a principal e fundamental exigência. Se você não estiver apto a exercer bem a função que pleiteia, dificilmente conseguirá conquistar a vaga. Uma boa formação, cursos adicionais, experiência na função são importantes na hora de competir por uma vaga de trabalho.

2 – Visão global

Além de ser bom no que faz, é importante que você compreenda quais os impactos de sua parte sobre o todo. Ter uma visão global ajuda na comunicação em geral, tanto com pares como superiores ou subordinados.

3 – Estar bem informado

Vivemos hoje na sociedade da informação. Quem é munido de conteúdo sempre sai na frente. Nada melhor do que conversar com alguém que sabe o que está acontecendo sobre a função que exerce. Você deve ser o ponto de referência na empresa quando o assunto estiver relacionado à sua área. Agora, se puder também se informar sobre atualidades, economia, lazer, artes, esportes, internet, negócios, entre outros assuntos, melhor ainda. Você se torna alguém bem mais aberto e com muito mais possibilidade de interagir com outros da companhia. Mas não se esqueça: o principal conhecimento que você deve ter é relacionado à sua área de atuação.

4 – Facilidade com tecnologia

O computador e a internet são hoje ferramentas fundamentais de trabalho e comunicação. Quem interage bem com estas tecnologias e tem familiaridade com elas tem uma grande vantagem competitiva.

5 – Internet e redes sociais

Quem navega bem na internet e utiliza as redes sociais de maneira correta sabe como tudo isso pode ajudar para se informar, encontrar respostas e resolver problemas, e da mesma forma ganha pontos frente aos demais concorrentes.

6 – Idiomas (inclusive um bom português)

Num mundo cada vez mais globalizado, ter conhecimento de outro idioma é muito importante, principalmente o inglês. O Brasil ainda é um país que carece de pessoas que tenham domínio sobre outras línguas. Quem tem conhecimento em inglês e espanhol tem ainda mais vantagens. Mas lembre-se: saber bem o nosso português, por mais óbvio que seja, faz muita diferença.

7 – Educação continuada

Workshops, cursos de curta duração, palestras e pós-graduação, entre outros, sempre será algo valorizado pelas companhias. Mas não aja de modo a apenas colecionar diplomas. Conhecimento é muito valioso, portanto empenhe-se e realmente aproveite as oportunidades para aprender e crescer como pessoa e profissionalmente.

8 – Trabalho voluntário

Ter no currículo experiências como voluntário mostra que você é um profissional preocupado com valores importantes. Ações como essa não são apenas bem vistas no âmbito profissional, mas amadurecem o ser humano.

9 – Elegância e cordialidade

Essas qualidades podem ser mostradas em diversos aspectos – na maneira de se vestir, em como falar, nas atitudes. Ser elegante e cordial sempre atrai. Tais características ajudam a conquistar e demonstram maturidade e simpatia. Todos querem estar ao lado de pessoas agradáveis.

10 – Bons valores

Caráter e valores têm sido mais valorizados pelos recrutadores. Às vezes são naturais e nascem com a pessoa, são do interior dela, outras vezes são aprendidos em casa, mas também podem ser cultivados através da percepção e da valorização correta destas qualidades. Qualquer que tenha sido a forma de absorvê-los, o importante é ter bons valores. Com eles você se torna não apenas um bom profissional, mas um ser humano exemplar e de bem com a vida.

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/noticias/carreira/10-qualidades-indispensaveis-para-um-bom-profissional/44068/

 

258 oportunidades para investir e enriquecer

A maior parte dos negócios indicados tem o formato de franquias, mas você pode perfeitamente criar o seu

 

Sempre sou lembrado de que o prezadíssimo leitor quer ao ler este site: encontrar dicas de como se transformar num grande empreendedor rapidamente. E com fórmulas simples, baseadas em poucos conselhos, que devem ser curtos e objetivos.

Por esta razão, o número de artigos com 4 dicas, 7 novidades, 6 ideias ou 9 caminhos sempre é maioria na internet.

Muitos leitores também me escrevem com a pergunta sempre difícil de responder: o que faço para enriquecer com um projeto infalível? A leitora Suzana me pergunta se não quero ser sócio de um salão de cabeleireiros em Sorocaba – ela tem R$ 80 mil na poupança e eu entraria com o que ela chama de “bizus”.

Resolvo me dedicar a uma busca que possa atender ao máximo de leitores, com o mínimo de palavras e com o máximo de “bizus”.

Na busca, sou surpreendido por uma revista editada na Califórnia, Estados Unidos, chamada Entrepreneur, título que em bom português quer dizer Empreendedores.

O artigo lista 258 oportunidades de negócios com a seguinte certeza estampada na capa: “Transforme 10 mil dólares em um milhão de dólares”.

A maior parte dos negócios indicados tem o formato de franquias, mas você pode perfeitamente se inspirar nas dicas e criar seu próprio negócio, ou abrir uma nova franquia, inexistente ainda no Brasil.

Para facilitar sua vida, relaciono aqui os “setores” que o texto destaca, para que você possa ir direto para uma área que lhe interessa:

1- Serviços Automotivos
2- Serviços de Negócios
3- Negócios para Crianças
4- Serviços Financeiros
5- Comida/Restaurantes
6- Comida/Serviço Rápido
7- Comida: Vendas de Varejo
8- Serviços de Saúde
9- Serviços para melhorar casas e jardins
10-Serviços de e para Hotelaria
11-Serviços e Produtos de Manutenção.
12- Serviços de Cuidadores Pessoais.
13- Serviços de e para Pets.
14- Varejos Diversos
15- Serviços Diversos

Em cada uma das áreas, uma média de 16 negócios e oportunidades, desde publicidade em cartões até nutrição 100% líquida.

O endereço do site para consulta é muito simples: Entrepeneur.com. O texto virá em inglês, você pode usar o tradutor automático do seu browser e ter à disposição as suas 258 dicas em português.

Como a média de “dicas” dos artigos do site está em aproximadamente cinco por texto, me sinto neste momento escrevendo 52 artigos sobre o assunto em um só, e já posso voltar a escrever, por mais um ano, artigos sobre arrogância, loucura e criatividade, a diferença entre ser pessoa e coisa, e outros temas que não trazem números, “bizus”, mas apenas reflexões de quem traz nas costas cinquenta anos de trabalho e referências, que jamais confunde dirigir-se ao outro com irrelevância. O mais importante dom de um artigo é iluminar, seja de que modo for, a vida de apenas um só leitor, aquele a quem o texto tocou com uma frase, uma vírgula ou uma revelação.

Escrever para mim é uma forma de repetir a única frase presente em quase todas as religiões do mundo: amai-vos uns aos outros, na forma da expressão “falai-vos uns aos outros”. Por esta razão, nenhum texto, por mais incômodo ou difícil que seja, jamais é irrelevante, e não pode ser objeto de censura, castração ou rejeição.

Tenho mais 258 dicas de como enriquecer a alma, o espírito e seu sentido crítico e criativo. E elas virão nos próximos artigos. Até lá.

 

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Colunistas/Jack-London/noticia/2014/04/258-oportunidades-para-investir-e-enriquecer.html

 

8 truques imbatíveis para se lembrar de tudo (tudo mesmo)

Fazer associações e rotular pessoas (literalmente, acredite se quiser) estão entre as dicas cientificamente testadas para aumentar poder de memorização

Post-it: truques podem diminuir dependência de anotar tudo

“A memória é o tesouro e o guardião de todas as coisas”, escreveu o filósofo e estadista romano Cícero. Embora ela fosse importante na época de “De Oratore”, hoje a arte da memória talvez seja mais relevante que nunca. As constantes distrações digitais e a realização de várias tarefas ao mesmo tempo podem ter um efeito negativo sobre a memória funcional.

Coletivamente, nossas memórias parecem estar ficando menos precisas: uma pesquisa recente descobriu que os membros da Geração Y — entre 18 e 34 anos — têm maior probabilidade que o grupo de mais de 55 de esquecer a data atual (15% contra 7%) e onde colocaram suas chaves (14% contra 8%). Eles também esquecem de levar seu almoços (9%) ou mesmo de tomar banho (6%) com maior frequência que os mais velhos.

A memória fraca pode atacar em qualquer idade, prejudicando seu trabalho e sua vida pessoal. Todos nos lembramos de usar dispositivos mnemônicos na escola, mas os truques de memória podem ser mais que meros auxiliares de estudo. Existem várias ferramentas simples e práticas para ajudar você a lembrar o nome das pessoas e parar de esquecer onde estacionou o carro ou deixou as chaves.

Experimente estes oito truques para dotar sua memória de superpoderes.

Visualize

Precisa decorar uma lista de palavras ou nomes? Você terá maior probabilidade de lembrar as palavras se elas forem associadas a imagens — especialmente se você se considera uma pessoa que aprende visualmente (65% da população, segundo estimativas). Por exemplo, se você precisar se lembrar de uma reunião às 4:30 da tarde, experimente memorizar seu quarteto favorito (os Beatles?) e um bolo de aniversário de 30 anos. Pode parecer tolice, mas você ficará agradecido quando chegar na hora certa.

Experimente um jogo cerebral

Jogos de estimulação cerebral como sudoku e palavras-cruzadas podem ser úteis. E também há oLumosity, um conjunto de exercícios para fazer no computador ou no telefone criado por uma equipe de neurocientistas, que melhora a memória de 97% dos usuários com apenas dez horas de jogo. Os estudos ainda não determinaram exatamente como esses jogos reforçam a memória, mas há bons motivos para acreditar que são eficazes: um novo estudo com pessoas de mais de 60 anos descobriu que jogar um videogame destinado a treinar o cérebro aumenta a capacidade das pessoas de realizar multitarefas.

“Acho que jogá-los ativa as sinapses em todo o cérebro, incluindo as áreas da memória”, disse Marcel Danesi, autor de “Extreme Brain Workout” [Exercício cerebral radical], à Fox News.

Use o método de Cícero

Também conhecido como o método de Locais ou “palácio da memória”, a ferramenta de Cícero para lembrar informações, explicada em “De Oratore”, usa o poder de imagens de apoio (neste caso, locais físicos) e relações espaciais memorizadas. Como os psicólogos John O’Keefe e Lynn Nadel explicam em “The Hippocampus as a Cognitive Map” [O hipocampo como mapa cognitivo]:

“Nesta técnica, a pessoa memoriza o desenho de um edifício ou a disposição das lojas em uma rua, ou qualquer entidade geográfica que seja composta de vários locais diferentes. Quando deseja se lembrar de um conjunto de itens, o sujeito literalmente ‘caminha’ por esses locais e atribui um item a cada um, formando uma imagem entre o item e qualquer característica distintiva daquele local. A recuperação de itens é obtida ‘caminhando’ pelos locais e permitindo que estes ativem os itens desejados.”

Experimente esta técnica “caminhando” mentalmente pelos cômodos da sua casa e atribuindo informação a cada um deles — e depois lembre da informação ao passar pelos aposentos.

Experimente o método de “Baker-baker” (“Padeiro-padeiro”)

Em um experimento psicológico conhecido como paradoxo de Baker-baker, os sujeitos foram divididos em dois grupos, aos quais mostraram a foto de um homem. Um grupo foi informado de que o sobrenome do homem era Baker (padeiro), enquanto ao outro grupo foi dito que o homem era um padeiro. Quando mais tarde lhes mostraram a foto e pediram para lembrar a palavra associada, os que haviam sido informados sobre a profissão do homem tinham muito maior probabilidade de lembrar a palavra. A explicação é simples: embora as duas palavras e fotos fossem exatamente a mesma, quando pensamos em um padeiro, outras imagens e uma espécie de história vêm à mente (aventais, cozinha, pão fresco).

Um colaborador do site Fast Company disse que aplicar o paradoxo — usar a história de Lance Armstrong para lembrar-se de informação complexa e detalhada sobre quimioterapia — o ajudou a terminar a faculdade de medicina. Assim, quando quiser se lembrar de detalhes, experimente criar um “gancho” que conecte a informação a uma pessoa ou uma história — a associação forte garantirá que você lembre a informação com mais clareza.

Tire um cochilo

Eis uma boa desculpa para deixar o trabalho de lado durante uma hora nesta tarde: tirar um cochilo prolongado pode reforçar o aprendizado e a memória. Pesquisadores do sono da NASAdescobriram que cochilar beneficia de modo significativo a memória funcional, e um estudo de 2008 usou exames de imagens magnéticas para determinar que a atividade cerebral nas pessoas que cochilam é maior durante todo o dia do que nas pessoas que não repousam.

Mulher dormindo

Pode-se fazer de tudo para aperfeiçoar a memória, mas quando se trata de lembrar, um cochilo é fundamental

 

Rotule as pessoas – literalmente

Franklin Roosevelt era conhecido por ter uma memória que causaria vergonha na maioria das pessoas — ele conseguia se lembrar do nome de alguém que encontrou apenas uma vez meses antes, aparentemente sem dificuldade. Seu segredo? Roosevelt conseguia memorizar os nomes de todos os membros de sua equipe (e de todo mundo que conhecia) visualizando os nomes escritos em suas testas, depois de ser apresentado a eles. Essa técnica é ainda mais eficaz quando se imagina o nome sendo escrito com uma caneta na sua cor favorita, afirma a CNN.

 

Consuma ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3 — que podem ser encontradosem alimentos como salmão, atum, ostras, sementes de abóbora, couve-de-bruxelas, nozes e outros, ou ingeridos em forma de suplemento — estão entre os nutrientes mais benéficos para o cérebro. Um estudo feito pela Universidade de Pittsburgh em 2012 revelou que o consumo de ômega 3 intensifica a memória funcional em jovens adultos saudáveis. O consumo de alimentos com alto teor dessa gordura saudável também pode reduzir o risco de se desenvolver a doença de Alzheimer, segundo umestudo da Universidade Columbia de 2012.

Preste atenção

Talvez o melhor (e possivelmente o mais difícil) truque de memória é simplesmente prestar atenção na tarefa, conversa ou experiência atual. A distração torna nossa memória mais fraca e, consequentemente, aumenta nossa tendência a esquecer as coisas.

“Esquecer… é um sinal de como estamos ocupados”, disse à “Reader’s Digest” o diretor da Clínica de Transtornos da Memória no Centro Médico Beth Israel Deaconess, Zaldy S. Tan. “Quando não prestamos atenção direito, as memórias que formamos não são muito firmes e temos dificuldade para recuperar a informação mais tarde.”

Você tem dificuldade para acalmar seus pensamentos agitados? Torne-se mais concentrado praticando meditação, apenas dez minutos por dia. Um estudo recente da Universidade da Califórnia descobriu que a meditação melhora a capacidade da memória e reduz a divagação entre estudantes. E em 2012 pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusettsidentificaram um circuito neurológico que ajuda a formar memórias duradouras — descobriu-se que o circuito funciona de maneira mais eficaz quando o cérebro presta atenção naquilo que você está vendo.

 

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/8-truques-imbativeis-para-se-lembrar-de-tudo-tudo-mesmo?page=1

Três dicas para administrar melhor as finanças da casa

O exercício de se questionar toda vez que for pagar por algo pode ajudar a perceber com que facilidade se está gastando o dinheiro

 

Em 2013, o número de famílias brasileiras endividadas cresceu 7,5%, chegando a marca de 62,5%. Tal crescimento mostra a necessidade de uma atenção extra aos gastos e ao bolso. Para isso, a educação financeira é a melhor forma de aprender a gerenciar as finanças pessoais e da família.

“Sabemos o quanto é difícil quando o filho quer um videogame novo ou a filha pede aquela boneca que só falta faxinar à casa de tão incrível. Mas a verdade é que todos esses gastos, embora importantes para os filhos ou cônjuge, podem colocar em risco a sua saúde financeira”, relata Emanuel Gonçalves da Silva, autor e consultor financeiro da SOS Dívidas.

Confira três perguntas e orientações para contribuir com a organização financeira familiar.

1) Esse gasto é realmente necessário? É preciso comprar esse presente neste exato momento? Gastar nesse produto? Tomar esses chopes?

2) Mas é um gasto único para proveito duradouro? Para cada situação de lazer ou qualquer gasto que você sinta ser necessário para a sua qualidade de vida, pergunte o seguinte: “Esse gasto vai me render 1 minuto de proveito ou um mês?”. Investir, por exemplo, em um pacote de TV a cabo que proporcione vários canais de filmes para sua família pode valer mais a pena do que ir uma única vez a um cinema caro.

3) É um hábito barato? Hábitos baratinhos (como comprar esmaltes todo fim de semana na farmácia do bairro ou ter pequenos gastos com lanches diários) podem parecer gastos inofensivos e que não irão prejudicar muitos suas finanças, certo? No entanto, o que caracteriza um hábito é que ele é repetido várias vezes. Então, busque reduzir ou largar hábitos que exijam gastos, mesmo que sejam hábitos baratinhos.

O exercício de se questionar toda vez que for pagar por algo pode ajudar a perceber com que facilidade se está gastando o dinheiro.

“Ao examinar o que é realmente necessário e o que pode ser substituído por gastos melhores ou mais duradouros, a pessoa consegue equilibrar seus gastos em relação ao seu salário, diminuindo as chances de sobrar mês no fim do dinheiro”, explica o consultor.

Ele também orienta que não existem fórmulas mágicas responsáveis por fazer as dívidas serem quitadas da noite para o dia. Isso porque, segundo ele, a educação financeira familiar auxilia as pessoas a administrar as finanças, redistribuindo seus gastos mensais para não passar necessidade financeira.

A educação financeira é como qualquer tipo de educação. Requer estudo, dedicação e prática, para só depois serem notados os resultados. Em outras palavras, Questionar ajuda a administrar as finanças.

“Dedicar-se à educação financeira familiar permite que você saiba quais despesas estão pesando mais do que deviam no seu bolso, o que pode ser cortado, o que é realmente essencial e como equilibrar tudo isso e pagar o mínimo possível no momento em que o salário bater na sua conta”, explica o consultor.

“Então, vale dedicar seu tempo livre a estudar e aprender sobre isso!”, completa Emanuel Gonçalves da Silva.

 

Fonte: http://administradores.com.br/mobile/noticias/economia-e-financas/tres-dicas-para-administrar-melhor-as-financas-da-casa/87233/

Watch Dragon ball super